betterbetsonlinecasino -A prisão de membros do topo da Polícia Militar do Distrito Federal, sob suspeita de conluio com os a

Não vamos hesitar betterbetsonlinecasino -em investigar e punir responsáveis

A prisão de membros do topo da Polícia Militar do Distrito Federal,ãovamoshesitareminvestigarepunirresponsábetterbetsonlinecasino - sob suspeita de conluio com os atos golpistas do dia 8 de Janeiro, e do ex-ajudante de ordens de Jair Bolsonaro (PL), Mauro Cid, envolvido nas fraudes de cartões de vacina contra a , e também no caso da venda de joias recebidas pelo ex-presidente, colocaram as Forças Armadas novamente em xeque. Para oficiais do Exército, o Judiciário estaria tensionando as relações com os militares.

Continua após a publicidade

Nesta quarta-feira (23), o ministro da Defesa, José Múcio Monteiro, afirmou que pedirá à Polícia Federal e ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), os nomes das pessoas que receberam Walter Delgatti, o hacker da Vaza Jato, na sede do ministério, a pedido de Jair Bolsonaro (PL), para discutir possíveis fragilidades da urna eletrônica de votação.

Para o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, no entanto, o posicionamento das Forças Armadas a respeito das irregularidades “foi muito importante”. “Eles se posicionaram firmemente no sentido de que tem que punir qualquer responsável, de que não vamos pactuar com quem cometeu crimes”.

:: PF faz operação para prender cúpula da PM do DF por suspeita de omissão em 8 de janeiro ::

Na avaliação de Padilha, “o conjunto das instituições – imprensa, civis, militares, Congresso Nacional e Judiciário – foram contaminadas pelos quatro anos de ódio semeado contra a democracia, pelo governo anterior”. 

“Nós estamos fazendo esse processo de reabilitação e, nesse processo, é fundamental não generalizar a postura individual ou mesmo de dirigentes, como se fosse uma coisa da instituição, e punir de forma veemente todos aqueles que tiverem comprovação de terem participado, executado, planejado ou financiado os atos do 8 de Janeiro”, completa o ministro, em entrevista exclusiva ao BDF Entrevista

O ministro é assertivo: “Não vamos titubear em investigar, apurar e punir quais foram os responsáveis pelo golpe. Tem que ser pedagógico para o Brasil como um todo, para a sociedade, para as instituições envolvidas nisso, para a política”.

Edição: Rodrigo Chagas


Relacionadas

  • Hacker Walter Delgatti é condenado a 20 anos de prisão por invadir celulares de integrantes da Lava Jato

  • Advogado de Mauro Cid reforça que ele fará uma confissão: &39;As provas estão aí, aconteceu&39;

  • PF faz operação para prender cúpula da PM do DF por suspeita de omissão em 8 de janeiro

Outras notícias

  • Manifestante golpista pediu &39;direcionamento&39; a deputado Carlos Jordy durante bloqueios de rodovias

  • Recuperação do acervo dos Três Poderes depredado por golpistas já custou R$ 21,1 milhões aos cofres públicos

  • Ex-diretor da Abin diz que inteligência da SSP-DF tinha informação de que atos seriam violentos

BdF
  • Quem Somos

  • Parceiros

  • Publicidade

  • Contato

  • Newsletters

  • Política de Privacidade

Redes sociais:


Todos os conteúdos de produção exclusiva e de autoria editorial do Brasil de Fato podem ser reproduzidos, desde que não sejam alterados e que se deem os devidos créditos.

Visitantes, por favor deixem um comentário::

© 2024.sitemap